2892 Visitas |  1

Inhotim – O maior Museu ao ar livre da América Latina

Compartilhar Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Share on TumblrShare on LinkedIn

Após uma breve passagem pela capital do Estado de MG, nos dirigimos à cidade de Brumadinho, para conhecer a famosa Meca da Arte Contemporânea: Inhotim. Para quem não teve a oportunidade de conhecer esse incrível museu a céu aberto, confira um pouco da história de sua idealização:

Mademoiselle Voyage junto a obra Troca-Troca de Jarbas Lopes (Adriana Füchter)

Bernardo Paz, empresário da mineração, sempre aproveitou suas viagens ao redor do mundo para garimpar obras de arte. Sempre foi um colecionador inveterado. Inicialmente, o foco de sua coleção era o modernismo, mas, no fim da década de 1980, por influência de Tunga – um dos artistas brasileiros mais consagrados, resolveu mudar o eixo do seu acervo por trabalhos contemporâneos.

Jardins e lagos de Inhotim (Mademoiselle Voyage)

As aquisições eram levadas para sua fazenda em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, até que Paz resolveu transformá-la em um imenso jardim-museu aberto à visitação. Em 2006, nasceu Inhotim, hoje reconhecido como um dos principais destinos de arte no mundo.

Beam Drop, Chris Burden (Eduardo Eckenfels)

O acervo artístico de Inhotim abrange cerca de 500 obras de 97 artistas, de 30 nacionalidades, produzidas a partir dos anos 60. No trajeto entre as mais de 20 galerias, ficam espalhadas obras externas incríveis. Destaque para “Beam Drop”, do americano Chris Burden e “Inmensa”, do brasileiro Cildo Meireles.

Detalhes da botânica de Inhotim (Mademoiselle Voyage)

O lugar abriga uma reserva natural de mais de 400 hectares de mata nativa e uma área de visitação de 100 hectares de jardins com cinco lagos ornamentais. Burle Marx não é o autor do projeto – foi o paisagista Pedro Nehring que o concebeu, mas, como era amigo de Bernardo Paz, chegou a dar algumas ideias. Esse paraíso natural impressiona pela riqueza botânica: são mais de 4.500 espécies nativas e exóticas, incluindo a maior coleção de palmeiras do mundo, com cerca de 1.500 espécies.

De Lama Lâmina, Matthew Barney (Pedro Motta)

Cada galeria possui sua inspiração, levando o visitante experimentar as mais diversas sensações, que vão desde o estranhamento, até a reflexão. Mas algumas delas destacam-se como De Lama Lâmina, do americano Matthew Barney, inspirada no candomblé baiano. Trata-se de uma interpretação do conflito entre Ogum, orixá do ferro, da guerra e da tecnologia, e Ossanha, orixá das florestas, das plantas e das forças da natureza.

Sonic Pavilion, Doug Aitken (Alex Araújo)

O Sonic Pavilion é um dos trabalhos imperdíveis do museu. Trata-se de um pavilhão oval com uma cavidade de 200m de profundidade, onde o artista americano Doug Aitken colou uma série de microfones, com a intenção de amplificar o “som da terra”. Os microrruídos que saem da cavidade em tempo real, lembram uma música minimalista.

True Rouge, Tunga (Mademoiselle Voyage)

Cosmococas é uma instalação criada por Hélio Oiticica e o cineasta Neville D´Almeida. Consiste em cinco ambientes inusitados, que têm trilha sonora e projeção de slides. Os visitantes entram descalços e deparam-se com salas que possuem colchões, espumas, redes e até balões de ar no chão. A Cosmococa4 surpreende ainda mais, com uma piscina com luz de LED azul e verde. Quem quiser dar um mergulho pode contar com uma toalha ao sair.

Interação do restaurante Tamboril com a natureza e as obras de arte (Mademoiselle Voyage)

Devido ao seu tamanho e à quantidade de atrativos artísticos e naturais, Inhotim rende um passeio de pelo menos um dia inteiro. Para recarregar as energias durante a visita, o local possui dois restaurantesOiticica e Tamboril, um bar – Bar do Ganso, um café – Café do Teatro e várias lanchonetes espalhadas pelo parque. Almoçamos no restaurante Tamboril, que possui um ambiente integrado aos jardins e ao acervo de arte contemporânea. O cardápio oferece bufê de saladas requintadas, pratos à la carte, carta de vinhos e uma mesa de sobremesas com doces diversos.

Elevazione, Giuseppe Penone (Mademoiselle Voyage)

Para quem deseja visitar até as galerias mais distantes, pode embarcar nos carrinhos elétricos, que fazem dois tipos de rotas diferentes. A pulseira de acesso aos carrinhos custa R$10, além dos R$20 que dão acesso ao museu. Os pontos de embarque e desembarque estão indicados no mapa oferecido na recepção, com saídas a cada 10 minutos.

Mademoiselle Voyage interagindo com A Origem da Obra de Arte, de Marilá Dardot (Morgana Füchter)

Quer conhecer mais um pouco desse incrível museu? Confira o Flickr da Adriana Füchter! Imperdível!

Mademoiselle Voyage na varanda do Pavilhão Tunga (Adriana Füchter)

Instituto Inhotim (http://www.inhotim.org.br/)
Rua B, 20, Inhotim, Brumadinho, MG
Telefone: +55 31 3571.9700
E-mail: info@inhotim.org.br
Horário de Funcionamento: Terça, Quarta, Quinta e Sexta 9:30 às 16:30. Sábados, Domingos e feriados de 9:30 às 17:30. Valor da entrada: Terça – Gratuita/ Quarta e Quinta – R$ 20,00/Sexta, sábado, domingo e feriados – R$ 28,00